«Kafka: The Early Years», de Reiner Stach (Princeton University Press, 2016) [Tradução de Shelley Frisch]

Resenhas BANVILLE, John. Ending at the Beginning. [s. l.], [s. d.]. Disponível em: https://www.nybooks.com/article BANVILLE, John. Ending at the Beginning. [s. l.], [s. d.]. Disponível em: https://www.nybooks.com/articles/2017/08/17/reiner-stach-kafka-ending-at-the-beginning/. Acesso em: 12 nov. 2021. BOOKS, Five. Kafka: The Early Years. [S. l.], [s. d.]. Disponível em: https://fivebooks.com/book/kafka-the-early-years/. Acesso em: 12 nov. 2021. DAY, Review by Gregory. Kafka:Continuar lendo “«Kafka: The Early Years», de Reiner Stach (Princeton University Press, 2016) [Tradução de Shelley Frisch]”

Artigo: “Translúcido claro e distinto ou Kafka diante da lei: verdade, metáfora, direito”, de Luiz Carlos Montans Braga

Objetiva-se mostrar como Kafka elabora, por meio da literatura, uma reflexão acerca da filosofia do direito. Num primeiro momento, serão apresentadas algumas facetas do conceito de verdade (αλήθεια) na história da filosofia. Após, o conto Diante da lei, de Kafka, será analisado à luz dos conceitos de verdade e metáfora. [Clique aqui para ler o artigoContinuar lendo “Artigo: “Translúcido claro e distinto ou Kafka diante da lei: verdade, metáfora, direito”, de Luiz Carlos Montans Braga”

Artigo: “Kafka: A metamorfose para os direitos humanos”, por Leilane Serratine Grubba e Mikhail Vieira Cancelier de Olivo

O artigo tem por objeto o Direito e a Literatura. Mais precisamente, objetiva vislumbrar a possibilidade de uma intersecção entre os campos cognitivos do Direito e da Literatura, para compreender a dignidade humana à luz da obra artístico-literária A metamorfose, de Franz Kafka. Assim, em primeiro lugar, o texto centrou-se na possibilidade do diálogo entreContinuar lendo “Artigo: “Kafka: A metamorfose para os direitos humanos”, por Leilane Serratine Grubba e Mikhail Vieira Cancelier de Olivo”

Artigo: “Desde onde contemplar: sobre o primeiro livro de Franz Kafka”, de Simone Brantes*

Ao falar sobre Contemplação, o seu primeiro livro, Kafka diz haver nele uma “desordem sem salvação”, que “é preciso se aproximar muito” para ver aí “alguma coisa”. Esse artigo é resultado de uma tentativa de aproximação desse lugar ideal de contemplação a partir do qual não apenas podemos ver neste conto “alguma coisa”, mas a coisa que está em jogoContinuar lendo “Artigo: “Desde onde contemplar: sobre o primeiro livro de Franz Kafka”, de Simone Brantes*”

Artigo: “Deslocamentos e deformações em Kafka”*, de Jeanne-Marie Gagnebin**

Esse artigo tenta refletir sobre o questionamento do sentido que a prosa de Kafka opera, forçando o leitor a outra atitude em relação ao texto. Apoia-se, em particular, nos ecos da interpretação de Max Brod (na sua biografia de Kafka) nos textos, críticos, de Günter Anders, Walter Benjamin e Theodor W. Adorno. (Publicado originalmente naContinuar lendo “Artigo: “Deslocamentos e deformações em Kafka”*, de Jeanne-Marie Gagnebin**”